Relevância da minha vida

Eu ia começar escrevendo um comunicado importante que diria que este texto possui fatos passados que podem causar sensações extremas, como amor, raiva, dúvidas e certezas e alguns outros sentimentos que não foram denominados. Mas leitor nenhum precisa disso quando se torce para o Fluminense. Fomos acostumados a ser pegos de surpresa e aguentar as mais extremas sensações, e no meio de todas elas uma sempre prevaleceu. É sobre isso que escrevo hoje.

Há vezes em que tenho a certeza de que certo momento pode descrever o meu amor pelo Fluminense. Como quando ganhamos um Fla-Flu ou quando ganhamos de virada em cima do São Paulo, como aconteceu nos últimos meses. É o mesmo tipo de sentimento quando metemos uma goleada e, de quebra, sacaneamos os rivais.

E aí somos campeões e esses momentos antes citados se tornam mera felicidade perto de uma taça. O que se sente ao ser campeão parece ser a mais pura certeza de um amor. Parece ser a maior prova de que, como diz a faixa do tricampeonato, tudo e somente o que sentimos justifica o que fazemos.

Mas não há sentimento que prove tamanho amor, senão o que sentimos quando perdemos. A sensação que o torcedor sente ao ser rebaixado ou eliminado é inigualável e só não é maior que a felicidade, porque nossas mágoas não serão nunca maiores do que nossas glórias. São tristezas e felicidades diferentes. Sempre mais, porque o amor só cresce.

Falando de algo mais pessoal, lembro quando vi na televisão, ano passado, escrito que o Fluminense tinha sido rebaixado antes mesmo do fim do jogo. O que senti ali, naquele dia, foi algo que nunca tinha havia sentido na minha vida – nem mesmo em 2008, pois são sempre tristezas distintas. Mas o que senti um mês depois, ao saber que um feliz erro alheio nos salvou, foi completamente o contrário e também nunca havia sentido. Aquilo me levou a acreditar que Fluminense é extremo.

Agora escrevo, com toda a certeza, que a felicidade em ser campeão não é a mais pura certeza de um amor. Essa certeza está nas perdas. Sofremos na mesma intensidade em que amamos e só percebemos o quanto o Fluminense importa quando o vemos perder, quando choramos impiedosamente.

Com mais certeza ainda, percebo que há algo que não me faz sentir vergonha de dizer que meu time já foi rebaixado, que já foi eliminado e que já perdeu. Tenho menos vergonha ainda de dizer o quanto chorei e o quanto sofri.

O que me dá certeza desse amor, pensando bem, não é a vitória ou a derrota, e sim o que sinto enquanto escrevo isso. E o que sinto  é o que me faz escrever o texto todo me referindo ao Fluminense como nós e não como ele. O que sinto me faz me sentir parte de algo que nem sei explicar.

Dizem que o amor está na coisa mais banal. Mas digo que o amor pelo Fluminense está em tudo, da coisa mais importante à mais insignificante. Todos os dias e em todos os momentos. Agora eu amo mais do que nunca e vou repetir isso com a mesma certeza daqui a um segundo.

Fluminense campeão da Taça Guanabara Sub-20 2014 (x)

Torcida Tricolor no Estádio Municipal Radialista Mario Helênio - 23/04/2014 (Copa do Brasil 2014)

Palmeiras 0 vs 1 Fluminense - Campeonato Brasileiro 2014

Palmeiras 0 vs 1 Fluminense - Campeonato Brasileiro 2014