Auto explicativa #fluminense #fluminensefootballclub #flu #fluzao #nense #ffc #maiseuteamooo #parasempre

Auto explicativa #fluminense #fluminensefootballclub #flu #fluzao #nense #ffc #maiseuteamooo #parasempre

Uma palavra: SAUDADE #fluminensefootballclub #fluminense #flu #nense #nossomosahistoria #fluzao #ffc

Uma palavra: SAUDADE #fluminensefootballclub #fluminense #flu #nense #nossomosahistoria #fluzao #ffc

Hoje foi difícil se decidir entre ver o jogo ou a torcida. QUE COISA MAIS LINDA! (com exceção das (des)organizadas tendo briguinha de mulambo) (em Maracanã - Estádio Jornalista Mário Filho)

Hoje foi difícil se decidir entre ver o jogo ou a torcida. QUE COISA MAIS LINDA! (com exceção das (des)organizadas tendo briguinha de mulambo) (em Maracanã - Estádio Jornalista Mário Filho)

Pra tentar aturar as aulas #fluminense #flu #nense #fluzao #tricolor #ffc

Pra tentar aturar as aulas #fluminense #flu #nense #fluzao #tricolor #ffc

Dizem que na vida a gente só tem certeza de que a gente vai morrer algum dia. Não se sabe quando, não se sabe a causa, nem onde e nem porquê. A morte é mais uma daquelas existências que não se explicam e nunca vão achar uma explicação. Mas quando paro e penso sobre as coisas que eu gosto de fazer na vida (o que, muitas vezes, causa estranhamento das pessoas mais “comuns”), concluo que, nessa vida, eu e mais um punhado de gente temos certeza de duas coisas. A primeira é que a gente vai morrer. A segunda é que a gente vai amar o Fluminense até a primeira certeza acontecer.
Sim, isso foi muito bem pensado por anos de amor crescente antes de estar sendo escrito e, que fique claro, nada pelo Fluminense é em vão. Vale destacar também que (isso é mais pessoal do que qualquer outra coisa) quando as pessoas me pedem para viver, me vêm na cabeça se ainda não vivi e se estou desperdiçando minha vida sem mais nem menos. Depois de um tempo, chego à conclusão que em todos os momentos que me senti viva, o Fluminense sempre esteve presente. É a partir desse fato que encontro a minha segunda certeza da vida.
Porque, na verdade, não importa quantos zagueiros não serão contratados e quantos presidentes incompetentes ainda vão ter. Não importa se os jogos estarão cheios ou vazios, rumorosos ou silenciosos. Não importa quantas vezes já esteve presente o rebaixamento e continua não importando se estiver presente de novo. Não se desiste de algo assim. Que passem quantos técnicos e jogadores forem precisos para o Fluminense se tornar imbatível. Não importa o quanto falem e o quanto tirem sarro. Não importa patrocinadora. Nenhuma. 
Não importa nada disso quando o coração grita alto lá do fundo do peito só de olhar para aquela camisa guardada no fundo do armário. Aquela que foi lançada numa das piores épocas do futebol tricolor, mas continua linda como se fosse a única que existisse no mundo inteiro. Aquela que você se sente bem só de vestir e que te deixa com o escudo do seu time no seu devido lugar: do lado esquerdo do peito, em cima do coração, atuando como um forro, como uma mistura das tintas que faz a cor do seu sangue, como uma segunda pele. Faz parte de você. Vai sempre fazer. Até a primeira certeza acontecer. 

Dizem que na vida a gente só tem certeza de que a gente vai morrer algum dia. Não se sabe quando, não se sabe a causa, nem onde e nem porquê. A morte é mais uma daquelas existências que não se explicam e nunca vão achar uma explicação. Mas quando paro e penso sobre as coisas que eu gosto de fazer na vida (o que, muitas vezes, causa estranhamento das pessoas mais “comuns”), concluo que, nessa vida, eu e mais um punhado de gente temos certeza de duas coisas. A primeira é que a gente vai morrer. A segunda é que a gente vai amar o Fluminense até a primeira certeza acontecer.

Sim, isso foi muito bem pensado por anos de amor crescente antes de estar sendo escrito e, que fique claro, nada pelo Fluminense é em vão. Vale destacar também que (isso é mais pessoal do que qualquer outra coisa) quando as pessoas me pedem para viver, me vêm na cabeça se ainda não vivi e se estou desperdiçando minha vida sem mais nem menos. Depois de um tempo, chego à conclusão que em todos os momentos que me senti viva, o Fluminense sempre esteve presente. É a partir desse fato que encontro a minha segunda certeza da vida.

Porque, na verdade, não importa quantos zagueiros não serão contratados e quantos presidentes incompetentes ainda vão ter. Não importa se os jogos estarão cheios ou vazios, rumorosos ou silenciosos. Não importa quantas vezes já esteve presente o rebaixamento e continua não importando se estiver presente de novo. Não se desiste de algo assim. Que passem quantos técnicos e jogadores forem precisos para o Fluminense se tornar imbatível. Não importa o quanto falem e o quanto tirem sarro. Não importa patrocinadora. Nenhuma. 

Não importa nada disso quando o coração grita alto lá do fundo do peito só de olhar para aquela camisa guardada no fundo do armário. Aquela que foi lançada numa das piores épocas do futebol tricolor, mas continua linda como se fosse a única que existisse no mundo inteiro. Aquela que você se sente bem só de vestir e que te deixa com o escudo do seu time no seu devido lugar: do lado esquerdo do peito, em cima do coração, atuando como um forro, como uma mistura das tintas que faz a cor do seu sangue, como uma segunda pele. Faz parte de você. Vai sempre fazer. Até a primeira certeza acontecer. 

Não é de agora que o Fluminense está assim. Isso tudo começou em 2013 quando, depois de uma campanha boa em 2012, achamos que tudo continuaria uma maravilha como vinha sendo. Não éramos uma time perfeito, tivemos habilidade, mas também tivemos sorte, e sim ninguém corrigio os erros que ainda existiam. Achmos que levaríamos 2014 inteiro no bolso. Resultado: lutamos para não cair e caímos. Subimos por um erro alheio, não por canalhice. Fomos somente favorecidos. E, de uns tempos pra cá, penso que nunca chegamos a voltar pra série a. Nosso futebol é DE LONGE de um time de primeira divisão dr campeonato brasileiro (quiçá de campeonato carioca). Eu não to puta porque perdemos do Vasco (apesar deles estaremos na merda faz uns cinco anos e termos perdido disso), mas sim em ver como o Fluminense simplesmente não reage à nada disso! A vitória pro Flamengo iludiu todo mundo. Caralho, a gente não tá jogndo aquele futebol! A gente tá ridículo, pífio! Acorda, Fluminense!!! (Tem mais embaixo porque a indignação tá grande e vocês vão concordae comigo) #fluminense #flu #nense #ffc # tricolor

Não é de agora que o Fluminense está assim. Isso tudo começou em 2013 quando, depois de uma campanha boa em 2012, achamos que tudo continuaria uma maravilha como vinha sendo. Não éramos uma time perfeito, tivemos habilidade, mas também tivemos sorte, e sim ninguém corrigio os erros que ainda existiam. Achmos que levaríamos 2014 inteiro no bolso. Resultado: lutamos para não cair e caímos. Subimos por um erro alheio, não por canalhice. Fomos somente favorecidos. E, de uns tempos pra cá, penso que nunca chegamos a voltar pra série a. Nosso futebol é DE LONGE de um time de primeira divisão dr campeonato brasileiro (quiçá de campeonato carioca). Eu não to puta porque perdemos do Vasco (apesar deles estaremos na merda faz uns cinco anos e termos perdido disso), mas sim em ver como o Fluminense simplesmente não reage à nada disso! A vitória pro Flamengo iludiu todo mundo. Caralho, a gente não tá jogndo aquele futebol! A gente tá ridículo, pífio! Acorda, Fluminense!!! (Tem mais embaixo porque a indignação tá grande e vocês vão concordae comigo) #fluminense #flu #nense #ffc # tricolor

"Foi através do Fluminense que eu conheci a esperança!" #fluminensefootballclub #fluminense #flu #nense #fluzao #tricolor #ffc #esperanca #amor

"Foi através do Fluminense que eu conheci a esperança!" #fluminensefootballclub #fluminense #flu #nense #fluzao #tricolor #ffc #esperanca #amor

O Pó de Arroz está próximo de retornar ao Maracanã. A prática, única da torcida do Fluminense, não vinha sendo utilizada por conta de uma recomendação do Consórcio Maracanã. Noticia Gustavo Albuquerque, advogado e um dos autores da Ação Popular que possibilitou em 2008, a volta do talco aos estádios, que o pó de arroz está prestes a ser liberado.

Blogueiro do “Flupress”, hospedao no site Globoesporte.com, Gustavo entrou em contato com o vice-presidente jurídico do Fluminense, Mário Bittencourt, que conseguiu com o que o famoso talco volte ao “Maraca”, mas apenas após a Copa do Mundo.

Fonte: Globoesporte.com

O Pó de Arroz está próximo de retornar ao Maracanã. A prática, única da torcida do Fluminense, não vinha sendo utilizada por conta de uma recomendação do Consórcio Maracanã. Noticia Gustavo Albuquerque, advogado e um dos autores da Ação Popular que possibilitou em 2008, a volta do talco aos estádios, que o pó de arroz está prestes a ser liberado.

Blogueiro do “Flupress”, hospedao no site Globoesporte.com, Gustavo entrou em contato com o vice-presidente jurídico do Fluminense, Mário Bittencourt, que conseguiu com o que o famoso talco volte ao “Maraca”, mas apenas após a Copa do Mundo.

Fonte: Globoesporte.com

fluminensefootballclub:

Fluminense FC 4 - 1 Boavista l Campeonato Carioca 2014